‘Coloquei o braço na boca dela’, diz vaqueiro atacado por onça em MT


O vaqueiro João Pires de Souza, de 46 anos, deve passar por duas intervenções cirúrgicas para se recuperar de um ataque de uma onça-pintada, ocorrido nesta quinta-feira (6) em uma fazenda da região de Cáceres, a 250 km de Cuiabá. Em entrevista por telefone, ele conta que se assustou ao ver o animal e diz que foi salvo por um dos cachorros que o acompanhava.

José relata que andava pelo pasto da fazenda de onde trabalha e procurava por um filhote de cavalo, juntamente com outros cinco funcionários da propriedade. Eles iriam dar remédio ao animal, que deveria estar nas proximidades de um curral. “Vimos um urubu voando e pensamos que o cavalo havia morrido. Não tinha nenhuma carcaça de cavalo, mas achamos um jacaré morto”, disse o trabalhador.

No entanto, o grupo se deparou com uma onça que estava próxima do animal morto.
“Ela [a onça-pintada] correu e me atacou. Eu coloquei o braço na boca dela. Meus companheiros gritaram contra ela e um cachorro a mordeu por trás”, conta o trabalhador rural.

Depois que os cachorros começaram a atacar a onça, o animal subiu em uma árvore. A onça ainda tentou avançar novamente contra o trabalhador, mas teria se assustado e fugiu na sequência. O vaqueiro está internado no Hospital Regional de Cáceres. De acordo com o hospital, João passou por uma cirurgia no braço, onde sofreu ferimentos devido ao ataque.

“Eu já tinha visto onças em estradas [no Pantanal] mas o animal nunca nos atacou. Fiquei assustado, vou ficar mais atento”, concluiu José. O vaqueiro conta que se recordou de dois casos de ataques de onça-pintadas que ocorreram em 2008 e 2010.

Casos
Em 2008, nessa mesma região, um pescador de 22 anos foi morto após ser atacado por uma onça, quando o jovem estava em uma barraca na localidade do Pacu Gordo, às margens do Rio Paraguai, em Cáceres, a 200 km de Cuiabá. Depois disso, um adolescente de 16 anos ficou ferido após ser atacado por uma onça enquanto pescava com o pai no Rio Paraguai, em julho de 2010.

A vítima e o pai estavam próximos ao barranco quando a onça pulou no barco para atacar o jovem. Mas o piloteiro do barco teria dado algumas pauladas na onça, salvando o garoto.

bicicleta ataque onça (Foto: Weihlan Araújo/Arquivo pessoal)
Em 2012, homem foi atacado por onça ao subir
em bicicleta. (Foto: Weihlan Araújo/Arquivo pessoal)

Outra pessoa atacada em março de 2010 foi um técnico do Instituto Chico Mendes, que trabalha em uma reserva ecológica em Cáceres, foi surpreendido por uma onça quando estava ligando uma casa de máquinas. Ele ficou ferido, mas sem gravidade.

Em janeiro de 2012, o gaúcho Alex Eduardo Petkovicz, de 33 anos, levou mais de 200 pontos na cabeça, no rosto e nos braços, depois de ser atacado por uma onça-pintada na região central de Ipiranga do Norte, a 455 quilômetros de Cuiabá.

De acordo com a vítima, a bicicleta evitou que a onça o ferisse ainda mais, já que quando o atacou ele ficou por baixo da bicicleta, com a qual pretendia sair do armazém onde tinha deixado o caminhão e se dirigir até a residência dele. Porém, quando iria montar na bicicleta foi surpreendido pelo animal. Primeiro, ele contou que viu um vulto, parou e logo em seguida a onça pulou em cima dele.

Esse post foi publicado em Cáceres, Mato Grosso e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário ...... opine sobre o que você acabou de ver

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s