Idoso de 101 anos volta à escola em Cuiabá para aprender a ler e escrever


Às 5h da manhã o relógio desperta, Simonídio Rosa se arruma e reforça no café da manhã. É sozinho e carregando uma mochila, que pega o ônibus coletivo em Cuiabá, desce no terminal, e enfrenta mais um ônibus que vai deixá-lo em uma esquina próxima à escola. Essa é a rotina normal de muitos estudantes; a única diferença, neste caso, é que o aluno tem 101 anos. “Eu quero é aprender”, afirma o aposentado que decidiu voltar à sala de aula e romper os limites da idade.

Morador da capital, Simonídio participa diariamente de um curso de educação para jovens e adultos não alfabetizados. Nem mesmo a distância ou o problema de visão que possui o impedem de ser um aluno frequente. “A coisa mais triste na vida é não saber ler. Quem não sabe ler é como alguém que não fala. Eu já aprendi a escrever o meu nome”, comemora

“Não gosto de chegar atrasado. E tenho que pegar dois ônibus, por isso saio cedo de casa para não perder a hora da escola e nem do ônibus”. A residência fica no bairro Umuarama e a Escola Estadual Almira Amorim, no bairro CPA III, onde estuda das 7h às 11h.

Simonídio conta que estuda há mais de dois anos e aprendeu a escrever o seu nome completo. Porém, já consegue ler várias palavras escritas com letras grandes já que enfrenta dificuldades por conta de problemas na visão. Com o bom humor sendo uma das suas principais características, Simonídio rebate em seguida: “Vou fazer o que em casa? Tenho problemas, enfrento e amo demais estar aqui [na escola]”.

O importante é não depender de ninguém. Faço tudo sozinho”
Simonídio Rosa

Orgulhoso, conta que é o aluno mais velho da escola e que nasceu em em 13 de julho de 1911. Contudo, ressalta que perdeu o registrode identidade original emitido no Rio de Janeiro e ao solicitar a emissão de um novo documento, em Várzea Grande, não percebeu que o registraram com a data de 13 de julho de 1941.

A sala de aula é composta por alunos jovens, idosos e também deficientes. Para o idoso, a integração é o seu grande estímulo nas aulas que são direcionadas para cada um de acordo com as necessidades. “Eles me respeitam, me tratam muito bem. Só não gosto de bagunça na sala”, diz aos risos.

Nascido no Rio de Janeiro, criado na roça, o aposentado foi para Mato Grosso na década de 70 para trabalhar e deixou oito irmãos no RJ. Já casou duas vezes, não tem filhos, mas criou quatro enteados e tem duas netas. Atualmente mora com a esposa Ana Maria, de 50 anos, e um enteado de 20 anos.

A motivação em enfrentar uma sala de aula, destaca Simonídio, vem da vontade em “adquirir sabedoria, conhecimento e ser pastor”. Há 50 anos ele é evangélico e não perde também nenhuma aula da escola bíblica que ocorre na igreja aos domingos pela manhã.

A independência também integra sua vontade em enfrentar os desafios que a idade lhe impõe. “O importante é não depender de ninguém. Vou ao banco, supermercado, pego ônibus e pago as minhas continhas. Faço tudo sozinho”.

Por outro lado, o aposentado confirma que não são todos que apóiam a sua jornada de estudante e alguns até o criticam. Ele diz que familiares afirmam que está “andando à toa por aí. Já outros são por medo de acontecer algo”. Isso porque, há alguns anos, o aposentado foi atropelado em Cuiabá e passou por cirurgias que culminaram em problemas de saúde que ele sofre até hoje.

Mas, com 101 anos muito bem vividos, alguns sonhos ainda não se perderam no caminho. Simonídio Rosa ainda tem vontade de ter um filho e se reencontrar com a família que deixou no Rio de Janeiro, com a qual diz ter tido o último contato em 1991. Questionado sobre o que ainda falta em sua vida ou a principal meta antes de morrer, o aposentado não tem dúvida: “Um bom estudo, casa, e dinheiro na conta”.

A professora Bertulina Miranda observa que o histórico do centenário tem servido de referência para muitos alunos que pensam em abandonar a sala de aula e até mesmo como desafio no ensino. Ela ressalta que o trabalho é feito conforme a realidade de cada aluno e isso trazido bons resultados.

Esse post foi publicado em Mirassol e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário ...... opine sobre o que você acabou de ver

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s