Alunos acampam na UFMT


Movimento “Ocupa UFMT” começou nesta terça (31), após decisão de permanecer greve (Foto: Marcelo Ferraz/G1MT)
Movimento “Ocupa UFMT” começou nesta terça (31), após decisão de permanecer greve (Foto: Marcelo Ferraz/G1MT)

Com a greve que já dura 77 dias deixando 19.385 acadêmicos sem aula no estado, a reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) garantiu que o calendário acadêmico não está suspenso e que ele deverá ser reprogramado no final da greve com atendimento total das atividades acadêmicas.

A informação foi diante do questionamento feito por representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE-UFMT) que enviaram um ofício à reitoria com o objetivo de obter respostas oficiais das principais dúvidas dos estudantes sobre a greve dos professores e técnicos administrativos.

A reitora da UFMT, Maria Lúcia Cavalli Neder, respondeu o documento enviado pelo DCE e também garantiu que deverá ser discutida uma nova data para a rematrícula de veteranos após o término da greve, que segue por tempo indeterminado.

Na segunda-feira (30), em assembleia geral, por unanimidade, os professores da Universidade Federal de Mato Grosso rejeitaram a segunda proposta do governo federal de reajuste nos salários e decidiram continuar com o movimento grevista.

De acordo com informações da reitoria, as novas turmas deverão ingressar ainda no segundo semestre em data a ser definida no novo calendário acadêmico. Já sobre os livros emprestados da biblioteca antes da greve, não haverá penalização na devolução, conforme a instituição.

“Elaboramos esse ofício para sanar as dúvidas dos acadêmicos que ainda não tinham informações sobre como será o calendário escolar e a questão da matrícula”, ressaltou o coordenador do DCE, Murilo Alberto Canhoto Beltramin.

Greve dura 77 dias deixando 19.385 acadêmicos sem aula no estado (Foto: Marcelo Ferraz/G1MT)
Greve dura 77 dias deixando 19.385 acadêmicos sem aula no estado (Foto: Marcelo Ferraz/G1MT)

Movimento grevista
Logo após a assembleia geral desta segunda, a categoria juntamente com o sindicato dos técnicos e representantes do comando nacional de greve estudantil iniciaram o movimento “ Ocupa UFMT”, com objetivo de chamar a atenção da sociedade para o movimento grevista.

Na ocasião, alunos, representantes do sindicato de professores e técnicos administrativos decidiram fazer uma passeata pela Avenida Fernando Corrêa da Costa e fechar os portões que dão acesso ao campus da universidade, além de iniciar o acampamento na entrada. “ A greve está unificada nesse momento e esperamos que o governo federal possa negociar com todas as categorias, o que não vem acontecendo”, relatou a universitária Raiany Ilaila Nunes, que cursa o 3° semestre de serviço social.

Esse post foi publicado em Mirassol e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário ...... opine sobre o que você acabou de ver

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s